Super dicas para economizar, e não cair em roubadas no Primeiro mochilão! Parte 1

Islândia entre os países mais seguros do mundo.

Islândia entre os países mais seguros do mundo.

Conhecer lugares incríveis, exóticos, viver experiências que irão ser levadas para o resto da vida, e ainda por cima gastar muito pouco? Parece sonho mas esta é a realidade de quem procura o turismo de mochilão, também conhecido como turismo “backpacker”.

Mas apesar do que parece não é necessária apenas boa vontade e disposição, tem que haver um bom planejamento e uma boa flexibilidade. “Quanto mais informações a pessoa tiver, maior é o aprendizado, e maiores são as chances de economizar e de não se meter em roubadas”, afirma Douglas Sawaki.

Douglas e sua mulher, Júlia Sawaki, pode ser considerados experts no assunto, já viajaram por oito países da Ásia durante cinco meses, em 2007, e depois disso tiveram outras experiências “mais perto” de casa como Espanha, Inglaterra, Itália e Argentina.

Formados em turismo, os dois resolveram se especializar neste estilo de viajem. Já escreveram artigos acadêmicos sobre o tema, criaram um blog, e abriram uma empresa de consultoria para ajudar pessoas com interesse neste modo de viajem. Com base nas dicas deste casal, foi formado um guia para quem quiser aproveitar e cair na estrada pela primeira vez no mochilão!

1) Faça um roteiro da viagem

– O primeiro a ser feito é a escolha das cidades por onde você vai passar, logo depois de feito esta parte, pesquise qual a forma mais fácil e barata de se locomover entre elas (muitas cidades o uso de trem, é uma forma mais eficiente de se viajar, porém nem sempre é a mais barata). Lembre-se também do tempo de deslocamento, pois dependendo do trecho você poderá perder um dia todo viajando.

– Não vá pensando em ir para conhecer milhares de lugares diferentes, pois você acabara não conhecendo nenhum lugar direito com medo de perder o trem ou o avião.

– Pesquise na internet ou com amigos que já viajaram, ou até mesmo pessoas que moram no pais que você quer conhecer, as atrações e locais que seriam legais de conhecer, também é bom você anotar detalhes sobre estes lugares como: Horário de funcionamento, localização, preço, tempo necessário para a visita, e etc. Faça um cronograma de atividades, e das atrações que você quer conhecer no dia, para evitar que o seu dia vire uma marota cansativa, mas também reserve horários livres para caso aconteça alguma coisa, e até mesmo para descansar, pois algumas atrações requerem muito folego! Não se prenda apenas aos cronogramas, as vezes é bom improvisar.

– Depois de conhecer os lugares principais, procure outras rotas também. As vezes vale a pena também conhecer algumas atrações no meio do caminho entre as cidades que você ira visitar, porém veja se vale a pena, pois do contrario você pode perder tempo.

– Se você for de avião e seu voo fizer uma escala ou conexão, considere fazer um “stopover”, ou seja, uma parada programada (marcada na passagem aérea) na cidade da escala/conexão, que pode durar alguns dias e costuma ser gratuita ou bem barata.

– Pense bem antes de viajar acompanhado, pois se a companhia não for boa, ou se vocês não souberem como viver juntos será muito complicado pois iram passar todo dia, 24 horas por dia, juntos!

2) Cuide da documentação

– Procure saber toda a documentação necessária para entrar no pais desejado, procure saber quais vacinas são necessária, procure fazer o seguro de viajem e veja a validade de seu passaporte. Anote os telefones importantes como o telefone do consulado brasileiro no país de destino, e conhecidos.
– Procure fazer uma cópia digital do seu passaporte, cartões, passagens aéreas e reservas e mande tudo para o seu e-mail. Em caso de perda, furto ou roubo, você terá as informações necessárias para fazer o B.O., segunda via ou o que for Preciso.

3) Planeje seus gastos

– Faça anotações em uma planilha dos custos aproximados que você irá ter com hospedagem, alimentação, ingressos, passeios, diversão, compras e transporte. Faça uma media de quanto você irá gastar por dia, e vá se policiando durante a viagem desta forma você terá dinheiro suficiente para eventuais problemas.

– Fique bem atento ao câmbio da moeda antes da viagem, pois alguns países possuem taxa de câmbio estável, mas em outros a taxa varia muito de um dia para o outro. Veja a taxa de variação para não errar o orçamento.

– Veja os prós e contras de cada forma de levar dinheiro, utilize como base a facilidade de trocá-lo em cada destino e também na sua forma de gerenciar o orçamento, veja em qual a melhor forma para você. As opções são cartão de débito, cartão de crédito, dinheiro em espécie, traveler cheques e cartão de viagem pré-carregado.

4) Escolha a sua mochila e não a sobrecarregue

– Escolha de preferencia uma mochila que tenha estrutura fixa nas costas, alças confortáveis e reguláveis e barrigueira (a alça que se prende na cintura). Isso trará mais conforto. Quando o zíper tem acesso frontal, além do acesso superior, a bagagem fica mais organizada e as coisas podem ser encontradas com mais facilidade.

– O tamanho da mochila ideal é aquela que traga conforto a cada viajante. Mas é bom se lembrar de que quanto menor a mochila for, melhor será, pois quanto maior for a mochila mais coisa você vai colocar, e como consequência maior será o peso que você ira carregar.

-Com as mesmas coisas que você levaria para ir viajar por sete dias, você poderá viajar por um ano, sempre lavando as roupas usando for necessário, e sempre que precisar comprar peçar novas, ou usadas, pois muitas cidades têm ótimos bazares, tornando assim uma ótima opção de compra. Escolha roupas leves e fáceis de lavar e secar, para utilizar menos as lavanderias e carregar menos peso. Roupas específicas para atividades outdoor são mais práticas.

– Fica a tento de como o clima estará na época em que você ira viajar e escolha itens multifuncionais. É bem melhor, por exemplo, levar duas blusas finas e usar uma sobre a outra em vez de uma mais grossa, que ocupa muito mais espaço, e é utilizada bem menos.
– Quanto mais peso você levar menos você ira aproveitar, então não leve nada desnecessário.

5) Economize na hospedagem

– Muitos mochileiros preferem reservar a hospedagem assim que chega no local, porem tem que ficar sempre atento para ver se não há nenhum evento na cidade, ou ser época de alta temporada, pois nestes casos podem não haver vaga, então reserve com antecedência.

– A “hospedagem colaborativa” é a opção mais barata (na verdade gratuita). Em sites como Couchsurfing e Hospitality Club, os viajantes pode fazer o cadastro e se conectarem com pessoas que moram nos destinos turísticos. Estas pessoas disponibilizam a própria casa para os mochileiros, as vezes um quarto u colchão ou um sofá!

– Os albergues da juventude, ou hostels, são ótimas opções para os mochileiros, pois geralmente são bem baratos, pois você ira dividir um quarto, ele é muito bom também foi lá você terá contato com pessoas de diversos locais.

– Há também sites como o Airbnb, que oferecem estadias em residências, que disponibilizam suas casas, mas os viajantes pagam uma pequena quantia para eles.

– Também existem opções boas e baratas que não são encontradas em sites ou guias, mas geralmente estão concentradas na mesma região dos hotéis que são mais divulgados. Se não tiver uma reserva feita com antecedência, vale procurar por esses locais quando chegar ao seu destino.

Fonte: G1


Por Sâmiel Lina em 13/01/2014

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s